EM ATIVIDADE

Comunidade pode buscar atendimento para animais domésticos, silvestres e de grande porte, observadas as restrições nos serviços

Atendimentos do Hospital-Escola da L4 Norte – que atende animais domésticos e silvestres – e da Granja do Torto – que atende animais de produção – seguem sendo realizados durante a pandemia. Foto: Divulgação

 

Com a pandemia de covid-19 em seu ápice no Distrito Federal, é importante manter os cuidados não apenas em relação à saúde da população, mas também dos animais. Por essa razão, o Hospital-Escola Veterinário (HVet) da Universidade de Brasília segue em funcionamento neste período. Inaugurado em 2001, o HVet dispõe de duas unidades: uma para atendimento aos animais de produção e outra, aos de companhia e silvestres. Dando suporte, seis laboratórios da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária (FAV) contribuem com os diagnósticos e outros procedimentos complementares às atividades de clínica e cirurgia.

 

As equipes das unidades do HVet têm se esforçado para oferecer serviços de auxílio aos brasilienses neste momento de pandemia. Ao longo de 2020, a iniciativa de extensão PetCovid e o projeto VET informação em casa: I ciclo de palestras para produtores rurais do DF em tempos de pandemia foram essenciais para esclarecer dúvidas da comunidade. O primeiro traz informações sobre a covid-19. Já o ciclo de palestras on-line tem como foco trazer conhecimentos sobre doenças que acometem os animais produção, contribuindo assim para a qualificação de produtores rurais, estudantes e profissionais liberais.

 

O hospital também segue atuando junto à comunidade, promovendo ações de saúde animal e saúde pública em projetos de extensão de ação contínua coordenados por professores da FAV. É o caso do Projeto Carroceiro, que oferece atendimento clínico, cirúrgico e higiênico-sanitário para os equídeos de tração do Distrito Federal e Entorno, além de orientações sobre manejo, alimentação e bem-estar animal. Destaca-se também o Grupo de Estudos de Medicina Equina (GEMEq), que desenvolve pesquisas e palestras relacionadas à saúde de cavalos.

 

IMPACTO NO ATENDIMENTO – Com a chegada da pandemia de covid-19, houve redução no número de atendimentos do Hospital-Escola para Animais de Grande Porte, que cuida de animais de produção, como bois, vacas, carneiros, ovelhas e porcos. "Inicialmente, foram realizados atendimentos apenas para os animais já internados, sem fluxo de pessoas para visitas e com uma equipe bem reduzida. Gradualmente fomos retomando atendimentos a casos emergenciais", afirma Simone Perecmanis, professora da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária (FAV).

Algumas pesquisas realizadas no Hospital-Escola Veterinário para Animais de Grande continuaram durante a pandemia. Foto: Divulgação

 

Segundo ela, os atendimentos do hospital, que fica na Granja do Torto, seguiram com fluxo limitado e rigorosas medidas de prevenção à covid-19. Algumas pesquisas precisaram ser interrompidas e outras que já estavam em andamento foram finalizadas durante o período.

 

"Como não estamos envolvendo os alunos de graduação na rotina do hospital, os projetos de extensão foram adaptados para modalidade on-line, com palestras para produtores, criadores e profissionais da área, além da confecção de cartilhas e atendimento telefônico para sanar dúvidas simples", menciona Simone Perecmanis.

 

No Hospital-Escola para Animais de Pequeno Porte, localizado na L4 Norte, o Setor de Animais Silvestres e Exóticos manteve-se em funcionamento. Apesar da redução gradativa das atividades, ele vinha recebendo internações e, posteriormente, passou a contar com a participação de residentes, docentes e técnicos no atendimento aos animais silvestres vítimas de incêndios no Pantanal.

 

RETOMADA DE SERVIÇOS – As atividades do setor que presta atendimento aos animais de companhia, também na L4 Norte, foram interrompidas por um período devido à pandemia. Isso porque não foi possível realizar a compra de equipamentos de proteção individual (EPIs) suficientes e adequados, o que inviabilizou a atuação das equipes.

 

Agora, parte dos serviços presenciais está sendo retomada. Para que o funcionamento ocorra de forma segura, as atividades têm seguido as orientações técnicas do Comitê Gestor do Plano de Contingência da Covid-19 (Coes) e têm ocorrido de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

Tutores de animais que estavam em atendimento antes da pandemia podem marcar consulta presencial. Agendamentos para novos pacientes serão retomados posteriormente. Foto: André Gomes/Secom UnB

 

Por enquanto, os atendimentos em consultório estão sendo realizados somente para pacientes antigos, que não puderam dar continuidade ao tratamento por conta da interrupção dos serviços na unidade. Novas consultas serão liberadas após concluídos esses atendimentos.

 

A triagem dos pacientes será feita de maneira virtual, assim como o agendamento de consultas, por linka ser disponibilizado no site do HVet. Após a marcação, será enviado e-mail ao tutor com orientações sobre o funcionamento do hospital e sobre os protocolos de segurança a serem adotados, como uso obrigatório de máscara, higienização das mãos e adoção de distanciamento mínimo de dois metros entre tutor e veterinário. Já os profissionais deverão usar EPIs, como avental, luvas, máscara e face shield.

 

COVID EM PETS – Em relação aos efeitos da covid-19 nos animais de estimação, Simone Perecmanis explica que eles raramente são suscetíveis ao Sars-Cov-2 e que, por enquanto, não há evidências científicas de que eles possam ser uma fonte de infecção para seres humanos. O isolamento social decorrente da pandemia, no entanto, apresentou novos cenários aos animais domésticos.

 

"São vários os relatos de aumento de peso em pets, pois deixaram de fazer as saídas diárias com o tutor; de maior número de adoções; e, ao mesmo tempo, de abandono de animais", conta.

 

Ela afirma que o abandono, além de ilegal e passível de ação penal, é cruel. "Isso aumenta o risco de disseminação de outras doenças, uma vez que animais abandonados podem ser transmissores de de leishmaniose, cinomose e outras parasitoses graves."

 

"Neste contexto, mesmo em isolamento social, caberá aos tutores a manutenção da saúde de seus pets, sob orientação necessária do médico-veterinário, pois outras enfermidades, infecciosas ou não, estão ocorrendo e há necessidade de atendimento para garantir o bem-estar dos mesmos", completa.

 

DICAS– Para ajudar na saúde e bem-estar dos animais durante a pandemia, os veterinários recomendam aos tutores que redobrem os cuidados de higiene consigo, lavando as mãos cuidadosamente e com frequência, e com seus animais. Outra dica é evitar que pessoas com diagnóstico de covid-19 entrem em contato com os pets, além de, preferencialmente, não frequentar locais com aglomerações, fazendo sempre a higienização das patas após passeios. Caso o tutor seja diagnosticado com covid-19, o ideal é manter distanciamento e evitar contato com o animal.

 

SAIBA MAIS – É possível buscar outras informações sobre atendimento e agendamentos nas unidades do Hospital-Escola Veterinário da UnB por telefone ou e-mail. Para acionar a equipe do Hospital Veterinário de Animais de Grande Porte, basta ligar para (61) 3468-7255 ou enviar e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Para agendar com o Laboratório de Patologia Clínica Veterinária, os contatos são (61) 3107-2813 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; já com o Laboratório de Microbiologia são (61) 3107-2815 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

As marcações de consulta (para pacientes antigos) no Hospital-Escola para Animais de Pequeno Porte têm funcionado pelo telefone (61) 3107-2801 ou e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Os agendamentos com o Setor de Animais Silvestres e Exóticos, por sua vez, ocorrem pelo número (61) 3107-2843. 

 
*Matéria atualizada em 16 de abril, para acréscimo de informações
 

Leia também:

>> Abertura de jornada internacional destaca cooperação científica entre Brasil e França

>> Reitora faz roda de conversa com servidores do DGP

>> Pesquisadores da Universidade investigam variantes do novo coronavírus

>> Comitês da UnB fazem a diferença no combate à pandemia

>> Consuni aprova política de direitos humanos da UnB

>> Cuidando da mente, do corpo e da espiritualidade

>> Projeto da UnB que ensina português a refugiados e imigrantes em vulnerabilidade cresce na pandemia

>> Promovidas pela primeira vez totalmente on-line, ações do Mês da Mulher se destacam

>> Relembre ações da UnB em pouco mais de um ano após a deflagração da pandemia de covid-19

>> Lia Zanotta recebe título de Professora Emérita

>> Dasu realiza grupos focais na segunda etapa da pesquisa de saúde mental

>> Reitoria fará parte do Fórum de Mulheres da UnB

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.